O que é a Síndrome? Como identificar?


Esse perfil é mais comum entre as mulheres.

Etimologicamente, a palavra grega é composta pela união do elemento syn-, que significa “junto”, e dromos, que pode ser traduzido como “corrida”.

Essa síndrome envolve um triângulo: vítima, perseguidor e salvador. Às vezes nesse triângulo os papeis se invertem, pois um salvador pode ser um perseguidor.

Essa característica é mais forte nas mulheres, pois elas carregam esse perfil de cuidadora e protetora, ela sempre está, disposta a ajudar outra pessoa sem ser chamada, ela se oferece.

Quem ajuda gosta de ficar no controle para manipular a situação, então ela critica o jeito do outro agir, e procura se fazer necessária para não perder o cargo de salvadora, e com isso, ela consegue interferir e falar o que a sua vítima deve fazer, ela domina a situação.

A pessoa com essa síndrome gosta de se manter por perto, para controlar tudo o que acontece na vida da vítima.

A salvadora usa muito a seguinte frase “e se eu não estivesse aqui o que seria de você”?

Algumas dicas

  • A salvadora não busca ajuda, gosta de ajudar para manter o outro sempre em dívida com ela.
  • E quando ela precisa de ajuda não pede, pois tem medo de ficar na mão do outro.
  • Comumente usa essa desculpa: “Não quero incomodar ninguém” .
  • Sim, ela não gosta de ficar devendo favores para o outro, mas prefere que o outro fique sempre em divida com ela.

Ela faz chantagem

Quando ela vê que está perdendo o controle usa a chantagem, se coloca como vítima, fazendo com que o outro fique com sentimento de culpa. A salvadora troca de papel quando é contrariada, passando a ser perseguidora, e quando ela sente que está perdendo o controle vem outra forma de manipulação.

Ela começa a dizer que o outro foi um ingrato, que ela sempre esteve disponível o tempo todo pra ajudar. Se posiciona como vítima da situação.

Cuidado para quem você pede ajuda

Essa característica pode estar relacionada com a infância, com as responsabilidades que foram imputadas.

PROPAGANDA

Exemplo: A mãe coloca a filha para cuidar dos irmãos mais novos, colocando a responsabilidade da casa para filha, então ele se vê como responsável, e que sem ela a mãe não iria conseguir realizar todas as atividades.

Essa responsabilidade ela leva para a fase adulta, não consegue dividir nem os afazeres domésticos, pois gosta de controlar tudo, e se outra pessoa tenta fazer, ela arruma defeito desqualificando o trabalho da outra pessoa.

A salvadora fala das suas façanhas, e reclama que está sempre cansada.

Com isso podemos ver os traços da manipulação velada.

E tem como mudar uma pessoa assim?

Só se a pessoa estiver disposta!

A salvadora tem que olhar para dentro de si e aceitar que precisa realizar a mudança, ela trás algumas feridas do passado que tem que ser curadas, ela tem que se permitir viver com leveza, não precisa ficar o tempo todo querendo cuidar de tudo.

Quando deixamos as nossas necessidades de lado, para ajudar a cuidar da necessidade do outro, talvez estamos usando isso como fuga para não resolvermos os problemas. Essa síndrome é evidente nas igrejas, pois as pessoas deixam de lado as suas famílias, filhos, marido ou esposa, para se dedicar a cuidar do outro.

Tem pessoas que estão destruídas por dentro, mas estão disponíveis para ajudar o irmão ou irmã. A pessoa consegue dar conselho falando tudo o que o outro tem que fazer, porém ela mesma não coloca em prática na própria vida os conselhos que vive distribuindo, ela gosta de ficar a disposição, pois consegue manipular a situação, e ter controle na vida do outro.

Não significa que não devemos cuidar dos outros, mas sim que temos que cuidar das nossas feridas, para depois ajudar o próximo.

Dicas para autocontrole e evitar a manipulação

  • Espere as pessoas pedirem a sua ajuda, não se intrometa;
  • A sua maneira de ser não é a melhor, você não é responsável pelo outro;
  • Evite se comprometer com coisas que não pode cumprir;
  • Não espere o reconhecimento de ninguém;
  • Não fique se doando para aqueles que ficam o tempo todo reclamando da vida, isso também é uma forma de manipulação, pois se colocam no lugar de vitima.

PROPAGANDA

Por Simone Navarro

Simone Navarro é uma psicanalista, terapeuta floral, pedagoga, coach. É especialista em Saúde Mental e Dependência Química.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *