Rio de Janeiro:

Uma mulher foi encontrada morta, nesta terça-feira (24), no bairro Engenho, em Itaguaí, Baixada Fluminense. A vítima, identificada como Ana Cecília Brito da Costa, de 19 anos, trabalhava como esteticista e no domingo (22) saiu do bairro Coroa Grande, às 10h30, com um carro de aplicativo para atender um suposto cliente.

Logo depois, a família não conseguiu mais contato com a jovem. A Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DBHF) investiga o caso. Jonatan Peixoto da Silva, de 21 anos, foi detido pelo crime.

A família da jovem contou em entrevista ao Bom Dia Rio, da TV Globo, que Ana Cecília postava seus trabalhos por meio de redes sociais, e o suposto cliente conseguiu o contato dela através da internet. “Ele a enganou. Ela não sabia que ali (Engenho) era um lugar perigoso, que não era para ir. Ele enganou ela”, disse Débora Cristina, mãe de Ana Cecília.

PROPAGANDA

Antes de sair para o atendimento, Ana Cecília chegou a deixar um bilhete com o endereço para onde iria. Após não conseguirem mais entrar em contato com a jovem, os parentes localizaram o motorista de aplicativou que a levou para o bairro Engenho. O motorista também ajudou nas buscas e levou a mãe da jovem até a casa de Jonatan. Contudo, nas duas vezes que Débora esteve no local, ele se negou ter visto a esteticista.

“Ele teimava dizendo que ela não estava. Ele não deixou a gente entrar, por fim, ele deixou a gente entrar em uma casa e disse que a outra era casa de veraneio. Eu corri de todas as maneiras até encontrá-la enterrada em um buraco dentro da casa dele”, explicou Débora.

Dois dias após o desaparecimento, na terça-feira (24), a Polícia Militar foi acionada, depois que populares começaram a desconfiar que havia um corpo na casa do acusado. Em nota, a PM afirmou que agentes do 24ºBPM (Queimados) encontraram um corpo e a área foi isolada para perícia. Jonatan tentou fugir mas foi detido pelos agentes e encaminhado para a DHBF.

De acordo com a Polícia Civil, a perícia foi realizada e o corpo da vítima encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) da região. Jonatan foi autuado em flagrante pelos crimes de feminicídio e ocultação de cadáver.

Os familiares reforçaram que Ana Cecília e Jonatan não se conheciam e não tinha nenhuma relação. A jovem deixa um filho de cinco anos e a mulher.

PROPAGANDA

Por Felype Oliveira

Felype Oliveira é criador do Café com Net, além de administrar a revista digital, também atua como social media, web designer e roteirista.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *